Os lares para idosos são locais de elevado risco para ocorrência de surtos de COVID‐19, com impacto marcado tanto nos residentes como nos trabalhadores


Referência: McMichael T.M. Epidemiology of Covid‐19 in a Long‐Term Care Facility in King County, Washington. The New England Journal of Medicine. 27 de Março de 2020. doi: 10.1056/NEJMoa2005412

Análise do estudo: o estudo relata um surto de COVID‐19 num lar com 130 residentes e 170 trabalhadores em King County (um município de Washington, EUA). O caso índice foi notificado a 28 de Fevereiro de 2020, numa residente sem história conhecida de viagem ou contacto com casos confirmados, o que levou ao início de uma investigação epidemiológica aos lares do município. A 18 de Março tinham sido diagnosticados 167 casos de COVID‐19 no lar A, incluindo 101 residentes, 50 trabalhadores e 16 visitantes, com um tempo mediano entre sintomas e diagnóstico de 8 dias. A maioria dos casos tinha sintomatologia respiratória, mas registaram‐se 7 casos assintomáticos. As taxas de internamento dos casos confirmados foram de 55%, 50% e 6% nos residentes, visitantes e trabalhadores, respectivamente. Entre os residentes, a maioria (94%) dos quais com comorbilidades, a taxa de letalidade foi de 34%. Nessa mesma data, 30 outros lares do município já tinham identificado pelo menos um caso de COVID‐19, dos quais no mínimo 3 tinham uma ligação epidemiológica directa identificada com o lar A através da movimentação de trabalhadores e transferência de residentes.

Aplicação prática: os lares para idosos concentram por natureza vários factores de risco para o aparecimento de surtos de COVID‐19 com grande impacto: os trabalhadores frequentemente trabalham em vários lares, a população residente é idosa com comorbilidades e o índice de suspeição em casos de sintomatologia respiratória é baixo. São estabelecimentos nos quais é necessária uma atenção redobrada e com actividade proactiva, incluindo a monitorização activa diária tanto dos residentes como dos trabalhadores, e a adesão rigorosa às medidas recomendadas de prevenção e controlo da infecção.

Autores: Juan Rachadell , Raquel Vareda, Fausto S.A. Pinto, Rodrigo Duarte, Susana Oliveira Henriques e António Vaz Carneiro

Instituto de Saúde Baseado na Evidência (ISBE)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s